Miscelâneas do Eu

Expressar as ideais, registrar os pensamentos, sonhos, devaneios num pequeno e simplório blog desta escritora amadora que vos fala são as formas que encontrei para registrar a existência neste mundo.

Não cabe a mim julgar certo ou errado e sim, escrever o que sinto sobre o que me cerca.

A única coisa que não abro mão é do amor pelos seres humanos e incompreensão diante da capacidade de alguns serem cruéis com sua própria espécie.

Nana Pimentel

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Sugestão de Plano de aula para trabalhar a violência

Este caso me chamou a atenção por acreditar que o racismo seja uma demonstração de fraqueza, um ato discriminatório como uma agressão maior do que algumas ações físicas. Este tipo de atitude se equipara ao dito sistemas de cotas, pois a partir do momento que eu diferencio alguém pela cor de sua pele, seja em benefício do mesmo (cotas) ou discriminação (caso Tinga), estou priorizando a pigmentação no lugar das capacidades cognitivas, logo, dizendo que quem não é assim é menor ou pior que. Não acredito que a violência deva ser vista só quanto atitudes físicas devido ao fato que a ela também se dá de forma psicológica quando agimos com diferenciações.
Referente a este caso, a violência está expressa em uma atitude de jogar uma banana no jogador, chamando nas entrelinhas de macaco (ser inferior que não tem as capacidades mentais de um homem "branco"). 
Na escola, este caso pode ser trabalhado em sala de aula através de um debate "Quem é diferente de quem?" Levando aos alunos a perceberem através de suas respostas que não é a cor de alguém, a forma de um corpo que os faz diferente mas sim, as atitudes que temos durante a nossa vida. (Pode ser mostrado videos de pessoas das mais diferentes raças que tem destaque social por serem bandidos ou serem benfeitores).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte sempre!

Volte sempre!

Pesquisar este blog

Minha estante de livros!