Miscelâneas do Eu

Expressar as ideais, registrar os pensamentos, sonhos, devaneios num pequeno e simplório blog desta escritora amadora que vos fala são as formas que encontrei para registrar a existência neste mundo.

Não cabe a mim julgar certo ou errado e sim, escrever o que sinto sobre o que me cerca.

A única coisa que não abro mão é do amor pelos seres humanos e incompreensão diante da capacidade de alguns serem cruéis com sua própria espécie.

Nana Pimentel

domingo, 19 de outubro de 2014

Religiosidade, família e vida

A religiosidade se difere de religião pelo fato da primeira referir-se a nossa prática e integração, envolvimento com a religião que escolhemos praticar. Obviamente, que a influência desta prática dentro da família pode vir a nos aproximar como também pode nos afastar, dependendo de nossos conceitos sobre o nosso mundo. A herança da prática vinda dos pais ou avós está presente em muitas famílias, mas não acredito ser uma tendência natural, e sim, uma imposição disfarçada de opção. Principalmente levando em consideração que há muita intolerância religiosa para com crenças que não sejam aquela pregada dentro da família.
Penso que o importante não é a religião que se tem, nem mesmo a religiosidade que nos envolve no sagrado. Acredito na importância de levarmos a vida da forma mais bonita, limpa e sincera que pudermos junto aos nossos semelhantes e nosso mundo. Se acreditas como eu que Deus está em todas as coisas temos de amar tudo e respeitarmos também. Se és cético e acreditas em ti mesmo, também percebes que vivemos em um mundo onde há necessidade de respeitarmos e amarmos tudo que nos cerca, pois a Física já nos diz, na primeira lei de Newton, tudo que vai volta. Plantando urtiga se tem urtiga e não rosas. Logo, de qualquer forma a vida deve ser privilegiada.

Adriana Tavares Pimentel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte sempre!

Volte sempre!

Pesquisar este blog

Minha estante de livros!