Miscelâneas do Eu

Expressar as ideais, registrar os pensamentos, sonhos, devaneios num pequeno e simplório blog desta escritora amadora que vos fala são as formas que encontrei para registrar a existência neste mundo.

Não cabe a mim julgar certo ou errado e sim, escrever o que sinto sobre o que me cerca.

A única coisa que não abro mão é do amor pelos seres humanos e incompreensão diante da capacidade de alguns serem cruéis com sua própria espécie.

Nana Pimentel

sábado, 28 de junho de 2014

Galinha descabelada!

Ingredientes
500 gramas de peito de frango cozido e desfiado
1 colher (sopa) de óleo
1 cebola picada
2 tomates picados
2 dentes de alho
pimenta do reino e sal a gosto
1 colher de sopa de massa de tomate
2 xícaras (chá) de palmito picado(opcional)
100 gramas de presunto em fatias
1 copo de requeijão
batata palha a gosto
Refogue a cebola, o alho e a pimenta no óleo. Junte o peito de frango desfiado e cozido, acrescente os tomates, a massa de tomate, coloquem um pouquinho de água e deixe cozinhar por 5 minutos. Retire do fogo, misture o palmito, o presunto e o requeijão. Coloque a batata palha por cima de tudo e leve ao forno para gratinar. Sirva com arroz.

sábado, 14 de junho de 2014

Sugestão de atividade de aula

Faço cartões com +_ 15 palavras chaves que não podem faltar no texto. Este texto pode ser de qualquer gênero, ou seja, aquele que estiver trabalhando em sala.
Reúno os alunos em duplas ou trios e estes precisam criar uma história envolvendo aquelas palavras exatamente como estão no cartão. Após produzirem seus textos, precisam apresentar aos colegas de forma criativa, ou seja, em formato de peça teatral, música ou desenho.
Os textos são entregues para mim e avaliação é feita pelos próprios colegas.

Seleção é a escola

Uma pequena homenagem a escola que trabalho. Já que estamos em ritmo de Copa, ela vista como uma seleção.

Minha seleção é formada de campeões. Nossa equipe técnica é feita de um pequeno grupo que acredita no potencial do time. Os treina. Os enaltece. E, os impulsiona todos os dias para novos desafios serem superados. A torcida se estende aos familiares e amigos do nosso time. Alguns até não são conhecidos deles mas estão lá, torcendo para ganhar mais um jogo.

A maior batalha que nosso time está enfrentando é a luta de cada um consigo mesmo. O esforço em acreditar que podem mais e que o cansaço faz parte porém não se deve deixá-lo tomar conta é outra batalha.

Esse time esta comprometido no momento em tentar o equilíbrio entre a diversão e o trabalho, para que conquistem a vitória. E, o que os motiva? Depende do que cada um quer para si. Uns são motivados pelo cumprimento de uma etapa, outros pela obrigação, outros pelo prêmio da família e uns poucos ainda estão a procura de um porquê.

Até agora, o gol mais bonito da minha seleção foi a união colaborativa para fazer uma linda festa no baile de 60 anos da escola. Afinal, eles têm um diferencial, sendo todos diferentes é justamente nessas diferenças que apresentam habilidades únicas. Somente respeitando-as e sabendo mostrá-las pode-se fazer gols, ou seja, é unindo as diferenças que vencem os desafios.

Os desafios que estão por ai na educação brasileira ou na escola são propulsores motivacionais da nossa seleção pois eles sabem que podem não ganhar alguns jogos ou fazer gols mas nem por isso perderão a taça. Preparados pra vencer os desafios de si mesmos com auxílio dos técnicos estarão enfrentando os jogos com honestidade, união e conhecimento do que lhes espera. Afinal, estão organizados para serem campeões da própria VIDA.

Um grande abraço as minhas colegas, Margarete, Marilene, Nilce, Cris, Daiane, Fabi, Márcia, Débora, Isabel, Josi, Andreia; e alunos com suas famílias.

CONSTRUÇÃO INTERDISCIPLINAR ATRAVÉS DE LINGUAGEM FIGURADA

  

Características da personagem principal
Personagem - Brigitte de 89 anos
vive- No séc XXI em um apto no bairro Cidade Baixa de Porto Alegre mas viaja no tempo através da magia.
Mora – sozinha
Gosta de ler, ouvir opiniões e conversas das pessoas que passam próximas de sua janela.
Não gosta de nenhum tipo de discriminação ou maldade com seres vivos.
Amizades - Só tem dois amigos: o dono do mercado, senhor simpático, que costuma entregar suas compras; e a faxineira de seu prédio que conta tudo sobre a vida da vizinhas.
Lema: “Bela viola não é a que tem madeira mais bela mas aquela que toca mais o coração das pessoas.”


Um dia na janela

É uma sexta-feira, são 22 horas e embaixo da janela, uma menina sozinha e chorando.
Brigitti não aguenta as lamentações e escancara a janela.
  • Menina, não te assusta, sei que sou “véia” e feia mas sou do bem, tá “ligada”?
  • Não tô entendento. A senhora não me parec alguém que fala gírias.
  • Isso se chama adequação linguística e se preferires poderei ser mais rebuscada em minha linguagem.
  • Rebu o quê? Isso é de tomá?
  • Querida, o que se passa? Olhe em tua volta e sinta a vida nas pessoas. Há vida na arte, nas músicas dos bares, no andar dos namorados.
  • Ta aí! Tô chorando porque o eu namorado acabou te terminar. De que adianta dize que sou linda, que meu sotaque paulista é um amor, se ele me troca por qualquer prenda de algum CTG?
  • Tente reconquistá-lo com arte e escrita. Faça um poema gravado em video e envie a ele com uma bela música de fundo. Estarás conquistando-o através da arte, da música, da escrita e história, afinal precisa conhecer o que ele gosta para criar.
  • Mas como vou misturar tudo isso?
  • Como diria o poeta “use a imaginação”.
  • Mas o grande desafio pra mim será colocar o Cazuza, cantor que ele adora, dentro de Drumond ainda assim fazer com que ele escute.
  • Não desista. Podemos tudo que acreditarmos.


Construção de texto na formação de uma oficina literária da SEDUC, na escola Júlio de Castilhos no inverno de 2013.


sexta-feira, 13 de junho de 2014

Cinco Planos de Ensino


PLANO DE ENSINO 1



Título: Heteronômios de Fernando Pessoa

Duração: 2h/a

Público Alvo: 3º ano do Ensino Médio

Justificativa: Está foi elaborada para que os alunos tenham a oportunidade de entrar em contato com a literatura modernista de forma atrativa e desta forma possam compreender que a literatura existe por que há pessoas que expressam seus sentimentos através dela, assim como um adolescente os expressam em “fakes” do mundo virtual.

Objetivo: Conhecer os Heteronômios de Fernando Pessoa e o porquê de sua importância literária.

Objetivos específicos:
- Perceber as diferenças entre os poemas dos Heteronômios.
- Entender a relação do autor com o período modernista.
- Compreender a diferença entre as palavras: “Pseudônimos” e “Heteronômios”.

Metodologia
- Iniciar a primeira aula com a leitura de trechos dos poemas de Fernando Pessoa (anexo 1)
- Mostrar os diferentes textos de cada um dos Heteronômios.
- Explicar que todos os autores na realidade são uma única pessoa.
- Na 2ª aula, iniciar solicitando que pesquisem nos dicionários da escola qual a diferença entre pseudônimo e Heteronômios.
- Pedir que alguns leiam as respostas que encontraram e que os colegas digam o que entenderam
- Explicar a diferença das duas palavras pesquisadas
- Mostrar as características do modernismo e as características do modernismo e dos poemas de Pessoa.
- Informar a relação existente entre o autor e o modernismo.

Avaliação:
- Participação individual e no grupo

Recursos materiais necessários
- Lousa, canetão, dicionários, livro de literatura (ref. Bibliográfica anexa), cadernos e canetas.

Anexos:


Referências Bibliográficas
ABAURRE, Maria Luiza. PONTARA, Marcela Nogueira. FADEL, Tatiana. Português: língua e literatura. 2ª Ed. São Paulo, Editora Moderna. 2003.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. O minidicionário da Língua Portuguesa. 4ª Ed. 5ª impressão. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 2002.




PLANO DE ENSINO 2


Título: Sarau de poesias

Duração: 2h/a

Público Alvo: 9º ano do Ensino Fundamental

Justificativa: Oportunizar o contato com a poesia de forma agradável mostrando que há muitas formas de expressar os sentimentos.

Objetivo: Através de um sarau preparar os alunos para as aulas de literatura do Ensino Médio, quando terão um contato maior com a literatura poética.

Objetivos específicos:
- Perceber que a poesia é expressa e escrita de muitas formas.
- Entender o mundo da poesia como vivo e com regras que identificam estilos embora todas poesias expressam os sentimentos de quem as criou.
- Compreender que ler poesia pode ser prazeroso.

Metodologia
- Iniciar a primeira aula com a leitura de varias poesias trazidas pelo professor (anexo 1)
- Solicitar que cada aluno fale o que entendeu das poesias que ouviram
- Solicitar que escolham poesias na internet, imprimam e leiam para a próxima aula, preparando-se para apresentar aos colegas da forma como mais lhe agradar, desde que seja falada.
- Na segunda aula, iniciar preparando um ambiente agradável em sala de aula. Os alunos sentados em um tapete grande com almofadas e com música ambiente para a leitura das poesias escolhidas.
- A professora inicia declamando uma poesia e posteriormente convida todos a lerem um a um suas poesias. Ao final de cada leitura todos batem palmas.
- Após as leituras das poesias escolhidas cada aluno deve tirar de uma caixa poesias selecionadas pela professora e devem ler na roda em que estão. (anexo 2)
- Finalizar perguntando como se sentiram ao ler poesia desta forma.

Avaliação:
Participação individual e no grupo.

Recursos materiais necessários
- Tapete, almofadas, poesias impressas e colocadas em uma caixa, internet, impressora, papel oficio, musica ambiente e aparelho de som.

Anexos:

Anexos 1:



Anexos 2

Referências Bibliográficas
ANDRADE, Carlos Drummond. Reunião. 4ª Ed. Rio de Janeiro. 1973.
ERNANI & NICOLA. Lingua, literatura e redação. 4ª Ed. São Paulo. Ed. Scipione. 1997.
FARACO & MOURA. Língua e literatura. Vol. 2. 17ª Ed. São Paulo. Editora Ática. 1991.
FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. O minidicionário da Língua Portuguesa. 4ª Ed. 5ª impressão. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 2002.
GONZAGA, Sergius. Manual de Literatura Brasileira. 10ª Ed. Porto Alegre. Editora Mercado Aberto. 1993.
MORAES, Vinícius de. Antologia Poética. 7ª Ed. Rio de Janeiro. 1960.
PINTO, Alfredo Clemente. Seleta em Prosa e Verso dos melhores autores brasileiros e portugueses. 56ª Ed. Porto Alegre, Martins Livreiro. 1982.



PLANO DE ENSINO 3


Título: Criando um novo fim.

Duração: 3h/a

Público Alvo: 7º ano do Ensino Fundamental

Justificativa: Tendo em vista que a produção de texto muitas vezes é tida como um desprazer, através da recriação de histórias já vividas com novos fins possibilita ao aluno vivenciar através das linhas situações que não foram positivas, agora, de forma agradável, como tivesse realmente tido um fim melhor.

Objetivo: Estimular a produção de textos.
Objetivo específico:
- Verificar os conhecimentos linguísticos, leitura e contextualização social.

Metodologia
- Iniciar a 1ª aula conversando com os alunos sobre as coisas que eles gostam e o que não gostam. Questionar porque gostam ou não, se já fizeram ou comeram o que não gostam, se o desconhecido lhes dá medo ou não.
- Formar as duplas e pedir que apontem em seus cadernos o que foi conversado.
- Iniciar a 2ª aula questionando-os sobre o que apontaram na última aula e pedir que se unam em grupo novamente.
- Solicitar que contem ao colega um acontecimento que não gostaram e um que gostaram.
- Pedir que construam um novo fim para o acontecimento envolvendo o colega.
- Terceira aula, levá-los para o laboratório de informática e solicitar que digitem suas histórias e anexem imagens que podem representar os acontecimentos envolvidos.

Avaliação:
Participação individual e da dupla.

Recursos materiais necessários
- cadernos, canetas, laboratório de informática, imagens diversas.

Anexos: inexistentes.

Referências Bibliográficas
CAPUTO, Angelo Renan Acosta. BARBOSA, Claudia Soares. KRAS, Clea Silvia. CORREA, Vanessa Loureiro. Linguistica Aplicada. 1ªEd. Curitiba/PR. Editora Intersaberes. 2013.
FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. O minidicionário da Língua Portuguesa. 4ª Ed. 5ª impressão. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 2002.


PLANO DE ENSINO 4

Título: Estudando o romantismo.

Duração: 2h/a

Público Alvo: 2º ano do Ensino Médio

Justificativa: Propiciar ao aluno um contato com as características do romantismo de forma a estimulá-lo, a saber, mais.

Objetivo: Compreender o que foi o período romântico.

Objetivos específicos:
- Interpretar os textos do período romântico.
- Entender o que estava acontecendo no mundo neste período literário.
- Compreender a ligação artística da literatura com a realidade da história.
- Perceber o saudosismo vivido pelos autores deste período.

Metodologia
- Iniciar a 1ª aula conversando com os alunos sobre o que estava acontecendo no mundo quando o romantismo estava acontecendo.
- Solicitar a leitura do capítulo sobre romantismo do livro de literatura (anexo 1).
- Iniciar a 2ª aula solicitando que façam um resumo dos principais pontos das leituras da aula anterior.
- Ler com os alunos os trechos dos livros de autores românticos impressos neste capítulo.
- Pedir que construam um novo fim para o acontecimento envolvendo o colega.
- Solicitar que falem o que compreenderam de cada leitura e pedir que apontem em seus cadernos as características do romantismo que percebem em cada texto.
_ Listar na lousa as características apontadas por eles mais alguma outra ainda não mencionada.
- Finalizar solicitando que respondam as questões do livro e fazendo as correções destas seguidamente pouco antes do término da aula.

Avaliação:
Participação individual.
Cadernos com as tarefas realizadas.

Recursos materiais necessários
- cadernos, canetas, livro de literatura, lousa e canetão.

Anexos:

Anexo 1 – Livro adotado: CEREJA, William Roberto. MAGALHÃES, Thereza Cochar. Português – Linguagens2. 7ª Ed. São Paulo. Ed. Saraiva. 2010.


Referências Bibliográficas
CEREJA, William Roberto. MAGALHÃES, Thereza Cochar. Português – Linguagens2. 7ª Ed. São Paulo. Ed. Saraiva. 2010.

PLANO DE ENSINO 5


Título:

Duração: 2h/a

Público Alvo: 1º ano do Ensino Médio

Justificativa: Tendo em vista que para muitos alunos a poesia é considerada de pouco valor, cabe introduzir o conhecimento da real importância de uma poesia representando a época em que foi escrita.

Objetivo: Valorização da poesia.
Objetivo específico:
- Conhecer diversos gêneros poéticos.
- Trabalhar a leitura.
- Compreender o período histórico barroco no Brasil e o momento vivido pelos brasileiros.

Metodologia
- Iniciar a 1ª aula mostrando poesias líricas, satírica e religiosa.(anexo1)
- Formar trios e solicitar que criem poesias (uma lírica, uma satírica e uma religiosa).
- Pedir que leiam para os colegas e perguntar as diferenças entre cada tipo de poesia, criando um quadro na lousa com o que for mencionado pelos alunos.
- Iniciar a 2ª aula questionando-os o que se lembram da aula anterior. Apontar as características da poesia barroca.
- Falar sobre este período literário e o que estava acontecendo no Brasil quando este ocorreu.
- Mostrar novamente as poesias da aula anterior, falar quem são os autores e o que eles queriam mencionar através delas.

Avaliação:
Participação individual e da dupla.

Recursos materiais necessários
- cadernos, canetas, livro de leitura, lousa e canetão.

Anexos:
Anexo 1 – Livro adotado: TORRALVO, Izeti Fragata. MINCHILLO, Carlos Cortez. Linguagem em Movimento 1 – 1ªEd. São Paulo. Editora FTD. 2010


Referências Bibliográficas
CORREA, Vanessa Loureiro. Linguistica Aplicada. 1ªEd. Curitiba/PR. Editora Intersaberes. 2013.

RECEITA CASEIRA DE PASTA AMERICANA



Para quem quiser confeccionar a pasta americana em casa, essa receitinha vai ajudar

INGREDIENTES
.1 kg de açúcar impalpável (açúcar especial encontrado em lojas de artigos de festa)
.1 colher (sopa) de gelatina em pó incolor
.1/2 de xícara (chá) de água gelada
.1/2 xícara (chá) de glicose (à venda em lojas de artigos de festa)
. 2 colheres (sopa) de glicerina (à venda em lojas de artigos de festa)
.1 colher (chá) de essência incolor de sua preferência

Modo de preparo:
Em uma tigela grande ponha o açúcar e faça um buraco no meio. Reserve. Hidrate a gelatina com a água e deixe descansar por cinco minutos. Aqueça a gelatina, sem deixar ferver, e junte a glicose e a glicerina. Mexa até ficar homogêneo. Adicione a essência e despeje no açúcar. Misture bem e trabalhe a massa com as mãos até que fique dura e elástica. Se a mistura estiver grudando nas mãos adicione mais açúcar. Enrole como uma bola e envolva em filme plástico. Ponha dentro de um recipiente plástico bem tampado e deixe descansar por oito horas antes de usar.

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Pensando no ser campeão ou perdedor passo uma reflexão para vocês

"Ser campeão em esportes é glorioso, mas ser campeão na vida tem suas implicações, jogos que são perdidos, dribles bem sucedidos e gols perdidos. Pensando nisso, na fragilidade do homem e ao mesmo tempo a força que o envolve, quais as atitudes que tornam um homem campeão ou um perdedor?"    Adriana Tavares Pimentel

terça-feira, 3 de junho de 2014

Quindão

5 ovos inteiros
100 ml de leite de coco
1 colher de margarina
250 g de açúcar
algumas gotas de essência de baunilha
100 g de coco ralado

Bata os ovos a margarina o leite de coco e a essência no liqüidificador, numa vasilha misturar suavemente açúcar coco ralado e a mistura do liqüidificador, coloque na forma untada com margarina e açúcar, leve ao forno médio em banho-maria, coberto com papel alumínio por 30 min e mais 10 sem o papel alumínio para dourar o coco.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Rio de Janeiro x Montenegro

Um pouco da cidade em que nasci (uma cidade sede) e da cidade onde moro.


Moro em Montenegro/RS mas sou natural do Rio de Janeiro/RJ, logo a cidade sede que escolhi para falar é de minha terra natal.

A cidade do Rio de Janeiro para a maioria da população brasileira é a cidade do Carnaval e da praia. É uma cidade linda por suas praias, paisagens culturais e naturais, mas não é só isso. Acorda muito cedo e seu povo trabalha muito, não para nem mesmo a noite. Na minha última visita, não presenciei assaltos como a mídia fala, ao contrário, vi um policiamento ostensivo na cidade. Sua população é de 6.320.446 habitantes, e uma área, 1.200,278 km². Imensa! A cidade do Rio abriga todo o tipo de etnia e respeita essa diversidade.

Já a cidade onde moro, Montenegro é uma cidade com suas paisagens naturais bonitas, igualmente a população é trabalhadora mas não acorda cedo. Seu comércio abri as 9 h e fecha no máximo 18 h, seus bancos só abrem as portas as 11 horas. Sua população é de 59.415 hab. Área, 424,012 km². Suas raízes são alemãs, pois muitos imigrantes se instalaram em suas terras a 150 anos.

Se perguntarem qual é melhor de viver, direi que depende de cada um, do propósito e hábitos que temos pois a semelhança de ambas está na hospitalidade.


Sugestão de Plano de aula para trabalhar a violência

Este caso me chamou a atenção por acreditar que o racismo seja uma demonstração de fraqueza, um ato discriminatório como uma agressão maior do que algumas ações físicas. Este tipo de atitude se equipara ao dito sistemas de cotas, pois a partir do momento que eu diferencio alguém pela cor de sua pele, seja em benefício do mesmo (cotas) ou discriminação (caso Tinga), estou priorizando a pigmentação no lugar das capacidades cognitivas, logo, dizendo que quem não é assim é menor ou pior que. Não acredito que a violência deva ser vista só quanto atitudes físicas devido ao fato que a ela também se dá de forma psicológica quando agimos com diferenciações.
Referente a este caso, a violência está expressa em uma atitude de jogar uma banana no jogador, chamando nas entrelinhas de macaco (ser inferior que não tem as capacidades mentais de um homem "branco"). 
Na escola, este caso pode ser trabalhado em sala de aula através de um debate "Quem é diferente de quem?" Levando aos alunos a perceberem através de suas respostas que não é a cor de alguém, a forma de um corpo que os faz diferente mas sim, as atitudes que temos durante a nossa vida. (Pode ser mostrado videos de pessoas das mais diferentes raças que tem destaque social por serem bandidos ou serem benfeitores).

domingo, 1 de junho de 2014

Pão de Queijo paulista

Meio quilo de polvilho azedo,
250ml de leite,
60ml de óleo,
sal
250 gramas de queijo parmesão ralado.

esquente o leite junto com o óleo e o sal,
escalde o polvilho com a mistura e misture bem.
Depois acrescente os ovos e o queijo,
deixe descansar uma hora e faça as bolinhas e leve ao forno.

HUMUS ISRAELENSE



Ingredientes

2 xícaras de grão de bico mole (embebido em água por algumas horas e, em seguida, cozidos até ficarem moles) (*eu cozinho o meu)
1 xícara de tahine
2 dentes de alho
1/2 colher de chá de sal
Uma pitada de pimenta
Um limão espremido (suco)

Para dar um toque especial

Um punhado de salsinha picada
2 colheres de azeite
4 colheres de sopa de grão de bico cozidos quentes

Modo de preparo

Colocar todos os ingredientes em um recipiente e misturar até ficar com uma textura pastosa mole e passar no processador de alimentos (Desta forma, ele é passado no pão sírio antes de acrescentar Falafel). Se for servido com guarnições, pode dar um toque especial espalhando um pouco de salsinha picada e colocando grãos de bico quentes em uma área deprimida no centro do prato. Por sim, polvilhe com azeite e páprika e sirva com pão sírio quente.

Volte sempre!

Volte sempre!

Pesquisar este blog

Minha estante de livros!