Miscelâneas do Eu

Expressar as ideais, registrar os pensamentos, sonhos, devaneios num pequeno e simplório blog desta escritora amadora que vos fala são as formas que encontrei para registrar a existência neste mundo.

Não cabe a mim julgar certo ou errado e sim, escrever o que sinto sobre o que me cerca.

A única coisa que não abro mão é do amor pelos seres humanos e incompreensão diante da capacidade de alguns serem cruéis com sua própria espécie.

Nana Pimentel

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Estudando teoria da aprendizagem - Skinner

Um pouco de conhecimento não faz mal a ninguém.



Clique e assista on-line ---  Skinner


LEIA:    Teoria Comportamentalista (Behaviorismo)

Segundo essa concepção a aprendizagem ocorre através de contingências, surgimentos ao acaso, de estímulos e respostas dos organismos, onde o comportamento é observado como uma resposta as experiências (estímulos, ações) que pode ser preconcebido. Nesse sentido para os teóricos dessa linha de pensamento o meio em que as pessoas vivem exerce influência sobre o comportamento, no qual tanto animais quanto seres humanos aprendem sobre o mundo de forma semelhante reagindo às situações e características ambientais, que podem ser-lhes favoráveis ou não. Dessa forma, os behavioristas tentam identificar através das condições ambientais se um determinado comportamento vai ou não se repetir.
Os principais teóricos behavioristas são: John Broadus Watson, Ivan Pavlov, B.F. Skinner e Albert Brandura.
John Broadus Watson (1878-1958) nasceu na Carolina do sul, é considerado o primeiro e mais sistemático dos behavioristas. Ele afirma em um de seus postulados que existe uma resposta imediata para qualquer tipo de estímulo, do mesmo modo para qualquer resposta existe um estímulo. A partir desse e de outros postulados ele aplicou as teorias de estímulo e respostas em crianças pequenas, tentando determinar tipos e diversidades de comportamentos congênitos, que pudessem ser identificados e supostamente herdados. Além disso, este fez estudos sobre o condicionamento pelo medo (condicionamento clássico) e a sua eliminação.
A relação do behaviorismo com a educação consiste na modificação do comportamento tanto do professor como do aluno melhorando a aprendizagem. Watson era categórico ao considerar que a transformação do indivíduo por meio da educação era possível.

"Dêem-me uma dúzia de crianças sadias, bem constituídas e a espécie de mundo que preciso para as educar, e eu garanto que, tomando qualquer uma delas, ao acaso, prepará-la-eí para se tornar um especialista que eu selecione: um médico, um comerciante, um advogado e, sim, até um pedinte ou ladrão, independentemente dos seus talentos, inclinações, tendências, aptidões, assim como da profissão e da raça dos seus antepassados.”
(WATSON)

Um dos tipos de aprendizagem do behaviorismo é o condicionamento clássico, que é um processo de aprendizagem em que um estímulo neutro quando repetido com um estímulo eficaz produz uma resposta que anteriormente não existia, ou seja, ocorre um processo de associação.
Ivan Pavlov (1849-1936) um fisiologista russo foi quem desenvolveu os princípios básicos do condicionamento clássico através de experimentos com cães, onde ele observou que esses ao verem a comida começavam a salivar, a partir disso ele começou a tocar uma campainha (estímulo neutro) junto com a entrega da comida, depois de várias repetições do experimento o cão começa a salivar quando a campainha toca mesmo sem ver a comida. A comida inicialmente é um estímulo não condicionado e a salivação é uma resposta não-condicionada, já com o término dos experimentos a salivação se torna uma resposta condicionada enquanto que a campainha passa a ser um estímulo condicionado.
O outro tipo de aprendizagem é o condicionamento operante, que é um processo em que respostas são aprendidas pelo indivíduo porque ele opera ou afeta o ambiente, ou seja, ele é condicionado pela suas ações no meio em que vive.
B.F. Skinner (1904-1990) um psicólogo americano foi quem estabeleceu os princípios básicos desse condicionamento utilizando em seus experimentos ratos e pombos, que segundo ele podiamter seus princípios aplicados a humanos. O reforço é entendido como qualquer ocorrência, situação que aumenta aintensidade de um comportamento, ele é visto também como uma conseqüência do comportamento e se não estiver presente até o seu final por um determinado tempo acarretará na sua extinção.
Existem dois tipos de reforços, o reforço positivo é um estímulo favorável que ocorre após umcomportamento desejado, como por exemplo, dar comida ao cachorro depois que ele correu para pegar a bola etrouxe de volta. O reforço negativo é a remoção de algo desfavorável, um evento aversivo, depois de um comportamento, por exemplo, permitir que uma criança assista aodesenho depois que ela parar de fazer mau-criação. Existe ainda o reforço intermitente, que éaquele que reforça uma resposta de maneira não tão contínua.
O castigo (punição) que é uma consequência do comportamento, tanto pode ocorrer pelaapresentação de um estímulo desagradável quanto pela retirada de um estímulo agradável, porexemplo, o menino desobediente fica sem assistir televisão ou então apanha para aprender aobedecer.
Modelação é o reforço dos eventos que mais se aproximam do comportamento desejado, porexemplo, se uma pessoa quer treinar um cão para que ele toque uma campainha, o dono precisareforçar com um alimento toda vez que ele se aproxima da mesma, exigindo que o cachorro seaproxime cada vez mais até que ele a toque.
A eficiência no ensino pode ser melhorada, segundo Skinner, através da organização dos conteúdos em unidades simples compostas por pequenos tópicos ensinados passo a passo. O progresso do aluno se dá por avaliações objetivas contendo uma única alternativa. Se o aluno deve aprender mais sobre aquele assunto deve-se introduzir pequenos textos que contenham algo sobre o assunto com informações incorretas e outras corretas. O comportamento desejado leva o aluno para a próxima unidade, assim, recebe um reforçador. Se não, ele retorna a unidade. Esse método possibilita o aluno estudar praticamente sozinho em seu ritmo de aprendizagem. A garantia de assimilação e fixação se dá pelo fornecimento de estímulos reforçadores.
Para Skinner, as escolas perdem muito tempo no ensino de conteúdos que poderiam ser ministrados de forma mais rápida e eficiente. Uma forma de favorecer esse modo de ensino seria a elaboração de aulas com conhecimentos simples, sem grandes divagações exigindo do aluno resposta objetivas sobre os assuntos abordados.
Os professores, pais e mães por mais que não percebam utilizam princípios behavioristas na educação. A utilização de reforços como notas por participação, comportamento, atividades feitas e entregues em prazo pré-estabelecido, lazer em troca das atividades domésticas realizadas, entre outras, são baseadas nas abordagens comportamentalista do ensino.
Algumas atitudes punitivas com intenção de diminuir determinados comportamentos incompatíveis com a sala de aula podem reforçar o comportamento. Isso mostra que o professor deve levar em consideração a história de cada um dos alunos ou da turma. Assim, o professor pode modificar suas próprias atitudes melhorando os processos de aprendizagem.
Albert Bandura (1925...) nasceu em uma pequena cidade do Canadá, onde desenvolveu seus estudos sobre aprendizagem a partir do condicionamento operante de Skinner. A partir de observações ele percebeu que o reforço não precisava ser obrigatoriamente ofertado ao indivíduo que emitiu uma resposta, ou seja, um reforço que é recebido por um determinado indivíduo pode ter um efeito sobre os demais sujeitos que vão passar a imitá-lo, com o objetivo de igualmente receberem o mesmo reforço, esses reforços foram denominados de vicariantes. Os reforços vicariantes, portanto, ao agirem sobre o indivíduo de forma separada, estendem o poder da sua ação a todos os outros, esse tipo de condicionamento social encontra-se muito presente em sala de aula.


Referências Bibliográficas
Livros:
BAUM, William M. Compreender o behaviorismo: comportamento, cultura e evolução. 2. ed. rev. e ampliada. Porto Alegre, RS: Artmed, 2006.
CARRARA, Kester (Org.), Introdução à psicologia da educação: seis abordagens. 1. Ed. São Paulo: Avercamp, 2004.
CUNHA, Marcus Vinicius da, Psicologia da educação. 4. Ed, Rio de Janeiro: Lamparina, 2008. p. 37-56.
MEDEIROS, Carlos Augusto de; MOREIRA, Márcio Borges;. Princípios básicos de análise do comportamento. Porto Alegre, RS: Artmed, 2007.
MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti, Ensino: as abordagens do processo.  São Paulo: EPU, 1996.
PIMENTA, Selma Garrido (Coord.). Pedagogia: ciência da educação. São Paulo: Cortez, 1996.
    Sites:
    http://psiquelogados.blogspot.com/p/skinner.html
    http://sitededicas.uol.com.br/ga_p1.htm
    http://gavetadatralhamaefilha.blogspot.com/2011/03/comportamento-humano.html
   :http://www.anutricionista.com/formacao-do-habito-e-do-comportamento-alimentar-da-crianca.html
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Albert_Bandura
    http://www.oocities.org , acesso em (09/10/2011) 12:45
    http://pt.shvoong.com/social-sciences/education/teoria-da-aprendizagem-social-bandura , acesso em      09/10/2011 13:10
    http://www.golfinho.com.br/biografias/albert_bandura , acesso em  12/10/2011 10:04 (imagem de  Bandura).

Retirado do site: http://ateoriacomportamentalistaeaeducacao.blogspot.com.br/


LEIA; Contribuições de Skinner para a educação

    Skinner foi um grande teórico da educação cuja teoria, comportamentalista, basea-se no condicionamento via estímulo-resposta. A base do trabalho de Skinner refere-se a compreensão do comportamento humano através do comportamento operante (Skinner dizia que o seu interesse era em compreender o comportamento humano e não manipulá-lo).O trabalho de skinner é o complemento, e o coroamento de uma escola psicológica. Skinner adotava práticas experimentais derivadas de física e outras ciências.

     Outros importantes estudos do autor referem-se ao comportamento verbal humano e a aprendizagem.
A principal contribuição de Skinner para a Psicologia foi o conceito de Comportamento Operante que descreve um tipo de relação entre as respostas dos organismos e o ambiente. Diferente da relação descrita no comportamento respondente onde um estímulo elicia/gera uma resposta, o comportamento operante descreve uma relação onde uma resposta que gera uma consequência (ou apenas é acompanhada por essa como no caso do comportamento supersticioso) tem a sua probabilidade de ocorrer novamente em um contexto semelhante modificada pelo efeito desta consequência sobre a interação. 

     Nesse sentido, o behaviorismo radical vai entender o comportamento do ser humano e dos outros organismos como uma interação entre estímulos do ambiente e respostas do organismo, sendo determinado por três tipos de seleção, a saber: filogenética, ontogenética e cultural. O primeiro nível de seleção, a seleção filogenética se refere aos repertórios compartilhados por uma mesma espécie, o qual é determinado pela história evolutiva da mesma. O segundo nível de seleção, a seleção ontogenética se refere ao repertório particular de cada indivíduo ou organismo, o qual é determinado por sua história de vida ou histórico de reforçamento. E o terceiro nível de seleção, a seleção cultural se refere ao repertório compartilhado por indivíduos de uma mesma cultura, sendo este de maior importância para compreender o comportamento humano e de outros animais que apresentam algum tipo de comportamento social.


Retirado: http://teorizaravivenciaeducativa.blogspot.com.br/2011/08/skinner.html


LEIA: “Burrhus Frederic Skinner nasceu em 1904 na cidade de Susquehanna, no Estado da Pennsylvania, Estados Unidos. Concluiu o segundo grau em 1922, no mesmo ano entrou na universidade Hamilton College. Graduou-se em literatura inglesa e línguas românicas, em 1926, e, com essa formação, Skinner decidiu ser escritor. Essa idéia foi abandonada em 1928 quando resolveu fazer o curso de pós-graduação em Psicologia, se inscrevendo no programa de Psicologia Experimental, em Harvard University. Obteve os títulos de Mestrado e Doutorado, em 1930 e 1931, respectivamente. Após o doutoramento, permaneceu em Harvard, até 1936, com um apoio financeiro para fazer pesquisas”1.
  • A palavra chave da teoria de Skinner é comportamento. Para ele, a aprendizagem concentra-se na capacidade de estimular ou reprimir comportamentos, desejáveis ou indesejáveis.
  • Na sala de aula, a repetição mecânica deve ser incentivada, pois esta leva à memorização e assim ao aprendizado.
  • O ensino é obtido quando o que precisa ser ensinado pode ser colocado sob condições de controle e sob comportamentos observáveis.
  • Os comportamentos são obtidos punindo o comportamento não desejado e reforçado ou incentivado o comportamento desejado com um estímulo, repetido até que ele se torne automático.
  • Dessa forma, segundo Skinner, a aprendizagem concentra-se na aquisição de novos comportamentos.
  • A aprendizagem ocorre através de estímulos e reforços, de modo que se torna mecanizada.
  • De acordo com a teoria de Skinner, os alunos recebem passivamente o conhecimento do professor.
  • Em sua visão, conhecida como Behaviorismo, os comportamentos são obtidos pelo reforço - estímulo do comportamento desejado.
  • O papel do professor é criar ou modificar comportamentos para que o aluno faça aquilo que o professor deseja.
  • É Adequada para cursos técnicos, especialistas e treinamentos ou em atividades que visam ensinar conteúdo e tarefas que se apóiam na memorização e fixação dos conhecimentos, ainda hoje muito frequentes na educação.
  • A compreensão do comportamento humano apóia-se em seu comportamento operante.
  • De acordo com Skinner, o seu interesse está em compreender o comportamento humano, não e manipulá-lo.
  • Em seus últimos anos, Skinner atacou a psicologia cognitivista, afirmando que a educação é um modelo que se dá do meio para o indivíduo, e não o contrário.
  • O modelo Behaviorista de Skinner, em sua unidade conhecida como Behaviorismo Radical, é ainda muito popular, crescendo anualmente em relação ao número de estudiosos.
  • Segundo ela, os fenômenos mentais devem ser discutidos como padrões de comportamento.
  • Todo comportamento é fruto de um condicionamento, e assim não existem habilidades inatas nos organismos.
Referências:
1. http://www.uneb.br/salvador/dedc/files/2011/05/Monografia-Jenifer-Satie-Vaz-Ogasawara.pdf
MOREIRA, Marco Antônio; Teorias de Aprendizagens, EPU, São Paulo, 1995.

LEIA: 

Skinner e a sua importância na Educação

A importância de Skinner para a Educação

“Eu apenas não acredito que um pai comum pode fazer um bom trabalho. O que aconteceu no passado é que a cultura fomentou rotinas para direcionar as crianças. Espanca-se pelo que fazem de errado; não espanca-se pelo que fazem de bom; e assim por diante.
Cada uma dessas práticas produz certo tipo de pessoa. Às vezes produzimos pessoas empreendedoras, às vezes pessoas preguiçosas. Mas o ponto principal é que não temos mais culturas estáveis; então o pai comum não sabe mais o que fazer.
Os livros sobre educação infantil são, sobretudo, confusos porque você não pode aplicar o que eles recomendam: “Vá em frente e ame seu filho”.

Isso pode estar certo, mas você não pode simplesmente sair e comprar três litros de amor. E se a criança realmente não for amável você não pode falsificar amor. Falsificar amor é provavelmente a pior de todas as comodidades. “Mas eu sinceramente não sei; e é por isso que eu tendo a ser um sonhador utópico.” Skinner.

 

Skinner foi um grande teórico da educação, sua teoria comportamentalista, baseia-se no condicionamento via estímulo-resposta. A base do trabalho de Skinner refere-se à compreensão do comportamento humano através do comportamento operante (Skinner dizia que o seu interesse era em compreender o comportamento humano e não manipulá-lo).

Skinner criou o método de ensino programado, ensino que poderia ser praticado sem a intervenção do professor através de livros, apostilas ou máquinas.
A caixa de Skinner foi utilizada nas escolas para moldar o comportamento dos alunos através de matérias cuidadosamente sequenciadas e pelo fornecimento de recompensas ou reforços apropriados a aprendizagem, a aprendizagem programada e a máquina de ensinar eram meios apropriados para realizar a aprendizagem escolar.
Curso Online de Práticas Para a Formação de Professores - RJ - Grátis 


 CLICK NO PLAY PARA CARREGAR O CURSO

Grátis Curso Online de Práticas Para a Formação de Professores - RJ - Grátis
Curso Online de Práticas Para a Formação de Professores - RJ - Grátis
Para Skinner existiam duas formas de aprendizagem:
Condicionamento Respondente (reflexo ou involuntário) é controlado por um estimulo precedente. Exemplo: dilatação da pupila em contato com mudança repentina da iluminação.
Condicionamento Operante (voluntário) é controlado por consequência, estímulos que seguem a resposta exemplo: Dirigir o carro.

No ensino: Skinner percebia a deficiência nos métodos utilizado para ensino, os exemplos são de  coação, humilhação, retirada de privilégios, meios utilizados para obrigar o aluno a fazer o que não deseja esses ainda  são utilizados nos dias atuais uma vez que não há alternativas eficazes para a melhoria de técnicas de ensino. Nas técnicas de ensino seus métodos aplicados à educação são simples e direta.
Pontos importantes da Teoria de Aprendizagem segundo Skinner.
“A palavra chave da teoria de Skinner é comportamento”. Para ele, a aprendizagem concentra-se na capacidade de estimular ou reprimir comportamentos, desejáveis ou indesejáveis.
Na sala de aula, a repetição mecânica deve ser incentivada, pois esta leva à memorização e assim ao aprendizado.
O ensino é obtido quando o que precisa ser ensinado pode ser colocado sob condições de controle e sob comportamentos observáveis.
Os comportamentos são obtidos punindo o comportamento não desejado e reforçado ou incentivado o comportamento desejado com um estímulo, repetido até que ele se torne automático.
Dessa forma, segundo Skinner, a aprendizagem concentra-se na aquisição de novos comportamentos.
A aprendizagem ocorre através de estímulos e reforços, de modo que se torna mecanizada.
De acordo com a teoria de Skinner, os alunos recebem passivamente o conhecimento do professor.
Em sua visão, conhecida como Behaviorismo, os comportamentos são obtidos pelo reforço – estímulo do comportamento desejado.
O papel do professor é criar ou modificar comportamentos para que o aluno faça aquilo que o professor deseja.
É Adequada para cursos técnicos, especialistas e treinamentos ou em atividades que visam ensinar conteúdo e tarefas que se apoiam na memorização e fixação dos conhecimentos, ainda hoje muito frequentes na educação.
A compreensão do comportamento humano apoia-se em seu comportamento operante.
De acordo com Skinner, o seu interesse está em compreender o comportamento humano, não e manipulá-lo.
Em seus últimos anos, Skinner atacou a psicologia cognitivista, afirmando que a educação é um modelo que se dá do meio para o indivíduo, e não o contrário.
O modelo Behaviorista de Skinner, em sua unidade conhecida como Behaviorismo Radical, é ainda muito popular, crescendo anualmente em relação ao número de estudiosos.
Segundo ela, os fenômenos mentais devem ser discutidos como padrões de comportamento.
Todo comportamento é fruto de um condicionamento, e assim não existem habilidades inatas nos organismos.

Skinner identificou Duas espécies de aprendizagem
Para cada espécie de comportamento, Skinner identifica um tipo de aprendizagem ou condicionamento. Associado ao Comportamento Respondente está o Condicionamento Respondente, e Associado a Comportamento Operante está o Condicionamento Operante.
O Primeiro tipo de aprendizagem, que é chamado de "Condicionamento Respondente", e o segundo tipo de aprendizagem que Skinner chama de "Condicionamento Operante".


O Condicionamento Respondente "reflexo" ou "involuntário":
Skinner acredita que essa espécie de Condicionamento desempenha pequeno papel na maior parte do comportamento do ser humano e se interessa pouco por ele. Ex: dilatação e contração da pupila dos olhos em contato com a mudança da iluminação. Arrepios por causa de ar frio.

O Condicionamento Operante:
O conceito-chave do pensamento de Skinner é o de condicionamento operante, que ele acrescentou à noção de reflexo condicionado, formulada pelo cientista russo Ivan Pavlov. Os dois conceitos estão essencialmente ligados à fisiologia do organismo, seja animal ou humano. O reflexo condicionado é uma reação a um estímulo casual. O condicionamento operante é um mecanismo que premia uma determinada resposta de um indivíduo até ele ficar condicionado a associar a necessidade à ação. É o caso do rato faminto que, numa experiência, percebe que o acionar de uma alavanca levará ao recebimento de comida. Ele tenderá a repetir o movimento cada vez que quiser saciar sua fome. 



O Reforço Positivo:
É importante ressaltar, que reforço, ao contrário do que pode pensar o senso comum, não é uma simples recompensa. Para B. F. Skinner, reforço, pode ser qualquer evento que aumenta a frequência de uma reação precedente.Um reforço pode ser uma recompensa tangível. Pode ser um elogio ou uma atenção. Ou pode ser uma atividade, como poder usar o carro depois que a louça estiver lavada, ou ter uma folga depois de uma hora de estudo.

Reforços Primários e Secundários:

Os reforços primários - como receber alimento ou ser aliviado de um choque elétrico - são intrinsecamente satisfatórios.
Os reforços secundários são aprendidos.
Se um rato numa caixa de Skinner aprende que uma luz sinaliza de maneira confiável que a comida está chegando, ele vai se empenhar em acender a luz. Dinheiro, boas notas, são exemplos de reforços secundários, cada um das quais está ligado a recompensas mais básicas.

Caixa de Skinner
Devido à sua preocupação com controles científicos estritos, Skinner realizou a maioria de suas experiências com animais inferiores, principalmente o Rato Branco e o Pombo. Desenvolveu o que se tornou conhecido por "Caixa de Skinner" como aparelho adequado para estudo animal. Tipicamente, um rato é colocado dentro de uma caixa fechada que contém apenas uma alavanca e um fornecedor de alimento. Quando o rato aperta a alavanca sob as condições estabelecidas pelo experimentador, uma bolinha de alimento cai na tigela de comida, recompensando assim o rato. Após o rato ter fornecido essa resposta o experimentador pode colocar o comportamento do rato sob o controle de uma variedade de condições de estímulo. Além disso, o comportamento pode ser gradualmente modificado ou modelado até aparecerem novas repostas que ordinariamente não fazem parte do repertório comportamental do rato. Êxito nesses esforços levou Skinner a acreditar que as leis de aprendizagem se aplicam a todos os organismos.

Reforços Imediatos e Retardados:
Para ilustrar bem como funcionam esses dois tipos de reforços, pode-se usar como exemplo um experimento de moldagem em que se condiciona um rato a apertar uma barra. Antes de efetuar esse comportamento "desejado", o rato faminto se empenhará numa sequência de comportamentos "indesejados" - arranhar, farejar, andar de um lado para o outro. Qualquer desses comportamentos que preceda imediatamente o reforço de comida tem mais probabilidade de ocorrer de novo. Se você retarda o reforço da pressão da barra por mais 30 segundos, permitindo que outros comportamentos interfiram e sejam recompensados, não ocorrerá praticamente qualquer aprendizagem de apertar a barra. Humanos, ao contrário de ratos, reagem a reforços bem mais retardados: o pagamento do salário no fim do mês, a nota no fim do semestre, o troféu no campeonato.
Porém, reforços pequenos, mas imediatos, são às vezes mais atraentes do que reforços grandes, mas retardados. Fumantes, alcoólatras e outros usuários de drogas podem saber que seu prazer imediato é mais do que contrabalançado pelos futuros efeitos perniciosos, mas nem por isso abandonam seu vício.


Existem duas formas de reforço que são: o positivo e o negativo.
No reforço positivo quando o comportamento desejado é alcançado um elemento de recompensa é adicionado. Para exemplificar o reforço positivo consideremos um experimento onde um rato é privado de comida. Quando este puxa determinada alavanca (comportamento desejado) é disponibilizado o alimento (elemento de recompensa). Com o passar do tempo o rato ao sentir fome irá puxar a alavanca para receber o alimento. Desta forma o indivíduo exposto ao reforço positivo aprende o comportamento adequado.

No reforço negativo um elemento punitivo é adicionado ao ambiente e quando o comportamento desejado é alcançado este, é retirado. Para exemplificar temos novamente um experimento com um rato onde é colocado uma corrente elétrica ligada a sua gaiola. Esta corrente provoca um desconforto ao animal (elemento punitivo). Quando puxada uma alavanca (comportamento desejado) a corrente elétrica é desligada. Neste exemplo o choque elétrico é colocado como elemento punitivo que é eliminado ao conseguir o comportamento almejado. Após algum tempo o rato associa o ato de puxar a alavanca a extinção de seu desconforto e sempre que a corrente elétrica é ligada vai direto a alavanca. Como no reforço positivo, o negativo visa que o indivíduo aprenda o comportamento adequado a determinada situação.
O reforço negativo, não é um evento punitivo: é a remoção de um evento punitivo. Ambos utilizam de estímulos aversivos. 

As punições podem ser de dois tipos
Por adição (punição positiva), quando experiências aversivas são adicionadas.
Por subtração (punição negativa), quando facilitadores do comportamento são subtraídos. Ambas as técnicas levam a aquilo que chamamos de extinção.

A punição pode acarretar uma série de problemas: esse tipo de estimulação aversiva acarreta respostas do sistema nervoso, entendidas como ansiedade, depressão, baixa autoestima. Além do mais, o comportamento punido não é esquecido, ele é suprimido. Pode ser que após a estimulação aversiva ter sido eliminada, o comportamento volte a ocorrer: a criança pode simplesmente aprender a não dizer palavrões em casa, mas continuar a usá-los em outros lugares.

Ela também suprime o comportamento indesejado, mas não guia a pessoa para um comportamento mais desejável. A punição diz o que não fazer, o reforço diz o que fazer. Uma punição combinada com um reforço positivo de comportamentos desejáveis é mais eficiente.

Essa estimulação aversiva também pode provocar efeitos colaterais indesejáveis, como ansiedade e ensinar agressividade. Os psicólogos preferem dar mais ênfase ao reforço positivo do que à punição.


Programações de Reforço:
Usando-se esquemas de reforço contínuo, a aprendizagem ocorre rapidamente, mas sem o reforço, a extinção ocorre rapidamente também. Na vida real, esquemas de reforço contínuo são raros.

Programações de Ritmo Fixo:
Reforçam o comportamento depois de um determinado número de respostas.

Programações de Ritmo Variável:
Reforçam a primeira resposta depois de uma quantidade imprevisível de respostas.

Programações de Intervalos Fixos:
Reforça a primeira resposta depois de um período determinado

Programações de Intervalo Variável:
Reforça a primeira resposta depois de intervalos de tempo variáveis. Como o questionário imprevisível que reforça o estudo, as programações de intervalo variável tendem a eliciar respostas lentas e firmes. Caso os questionários tornem-se previsíveis, os estudantes começarão a seguir o padrão de pára-começa que caracteriza as programações de intervalo fixo (em outras palavras, estudarão apenas na véspera).

A Máquina de Ensinar
A mais conhecida aplicação educacional do trabalho de Skinner é sem dúvida Instrução programada, e máquinas de ensinar.
Skinner acredita que as máquinas de ensinar apresentam várias vantagens sobre outros métodos. Estudantes podem compor sua própria resposta em lugar de escolhê-la em um conjunto de alternativas. Exige-se que lembrem mais, e não apenas que reconheçam - que deem respostas e que também vejam quais são as respostas corretas. A máquina assegura que esses passos sejam dados em uma ordem cuidadosamente prescrita. Embora, é claro, que a máquina propriamente dita não ensine, ela coloca estudantes em contato com o professor ou a pessoa que escreve o programa. 

Em muitos aspectos, diz Skinner, é como um professor particular, no sentido de haver constante intercâmbio entre o programa e o estudante. A máquina mantém o estudante ativo e alerta. A máquina de Skinner permite que o professor dedique suas energias a formas mais sutis de instrução, com discussão.

Materiais Programados (Instrução Programada)
O sucesso de tais máquinas depende, naturalmente, do material nelas usado. Podem hoje, ser encontrados comercialmente numerosos programas em qualquer área de matéria, mas muitos professores estão aprendendo a escrever seus próprios programas. Os programas não precisam ser necessariamente usados em máquinas; muitos são escritos em forma de livro. Todavia, um programa distingue-se de um livro de texto, pelo fato do livro ser uma fonte de material a que o estudante se expõe. 

A instrução programada leva o aluno a estudar sem a intervenção direta do professor. As características deste método são: a matéria a ser aprendida é apresentada em pequenas partes; estas são seguidas de uma atividade cujo acerto ou erro é imediatamente verificado. O estudo é individual, "mas auxiliado pelo professor", sendo assim o aluno progride em sua própria velocidade. Em síntese, a instrução programada leva o aluno ao conhecimento e ao aprendizado.
Skinner, seguindo uma tradição de estudos científicos, faz estudos de laboratórios onde conclui que somos sensíveis as consequências do nosso comportamento, agimos e dependendo do resultado da nossa ação, nós voltaremos a agir da forma que agimos, ou não.

Skinner não tirou essas conclusões apenas das pesquisas em laboratórios com ratos, ele já havia ideias e estudos voltados a isso. Porém, as pessoas acostumadas com uma cultura e uma doutrina cristã, se sentem ofendidas por acreditarem que o homem seria um ser impossível de ser estudado, pois era um ser “divino”, nunca capaz de ser compreendido e estudado pela ciência. 

Foi uma rejeição quase que religiosa ao Behaviorismo, onde Skinner defende ao dizer que entendia que o ser humano não podia ser comparado a um rato, pois o ser humano é um ser de complexidade ímpar, com habilidades e capacidades impossíveis de serem encontrados em outros seres, porém não somos seres alienígenas, que tem princípios de comportamento totalmente diferente de outros seres vivos.

Skinner afirma a todo tempo a complexidade do ser humano, que o que fazemos é determinado pela nossa filogênese (o que somos enquanto espécie), ontogênese (como minha vida é construída) e a cultura (Praticas que são transmitidas através do comportamento verbal ou linguagens).

O grande foco do Behaviorismo de Skinner foi em relação a aprendizagem, forneceu inúmeras teorias e invenções para ajudar no ensino das escolas.

Com Fred Keller, Skinner a partir dos princípios comportamentais, defende o Ensino Individualizado, pregando que, quando o ensino é dado de forma individual, o professor tem uma maior visão das dificuldades do aluno tornando a avaliação praticamente natural.
Skinner foi um dos precursores do computador na educação, para ele, a escola ideal é aquela que o aluno é atraído por ela, não por receio, mas porque nela ele encontra as mais fortes razões de se manter o aprendizado mesmo depois de sair dela. A educação para Skinner, é a chave da sociedade, é por ela que o aprendiz encontra formas e habilidades que o tornem independentes e que depois da escola, ele seja um ser que busque informações no decorrer de sua vida, tornando o ser mais feliz e com sucesso profissional.
A grande contribuição de Skinner, não só para uma, mas para todas as áreas, é a força que a educação tem, onde ele concebe que os educadores podem compor o que ele chama de Quarto Poder, Quarta Força ou Quarto Estado, pois ele considera que os três existentes que seria a Religião, a Economia e a Política, tem interesses que dizem a respeito a sua sobrevivência imediata e não a sobrevivência da espécie, e que são apenas os educadores, os intelectuais e os cientistas, que por conhecerem o que move o ser humano, serão capazes de trabalhar a sobrevivência e a manutenção da espécie humana.
Skinner foi um visionário na concepção de ensino levando em conta a sua época.

RETIRADO DO SITE: http://formacaodeprofessoresrj.blogspot.com.br/2013/06/a-importancia-de-skinner-para-educacao.html

Links de pesquisas:

Sugestão de Leitura:







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte sempre!

Volte sempre!

Pesquisar este blog

Minha estante de livros!