Miscelâneas do Eu

Expressar as ideais, registrar os pensamentos, sonhos, devaneios num pequeno e simplório blog desta escritora amadora que vos fala são as formas que encontrei para registrar a existência neste mundo.

Não cabe a mim julgar certo ou errado e sim, escrever o que sinto sobre o que me cerca.

A única coisa que não abro mão é do amor pelos seres humanos e incompreensão diante da capacidade de alguns serem cruéis com sua própria espécie.

Nana Pimentel

sábado, 21 de novembro de 2015

As Feiras Literárias da Escola Osvaldo Brochier




Na primeira Feira, em 2013, trabalhamos com o livro “Um caminho no meio das pedras” do autor Oscar Bessi desenvolvendo uma reflexão sobre a prevenção de drogas. O tema central era “CONSTRUTORES DO FUTURO”. Tivemos declamação de poesias; esquete teatral “Dudu e sua turma vieram à escola”; hora do conto “As lendas do sul e outras lendas”; debate com o escritor Bessi e este foi entrevistado por uma repórter indiscreta.

Na segunda Feira Literária, em 2014, o projeto “as fábulas e contos recontados” teve seus trabalhos expostos, juntamente com um varal poético de poesias criadas sobre imigrantes alemães no RS. E o teólogo-escritor Eduardo Kauer nos trouxe a reflexão sobre o valor de nossos antepassados e o resgate da cultura dos primeiros imigrantes da região através de seu livro “Alemão Batata”. Neste dia, a feira foi concomitante com o Dia do Campo. Tivemos um debate com o escritor sobre as nossas raízes e uma peça teatral chamada “O ALEMÃO BATATA EM SANTOS REIS”. Também foram apresentados vários vídeos: entrevistas dos alunos aos moradores mais antigos da comunidade com resgate de memórias e vídeos produzidos pelos alunos com adaptações dos textos do livro de Kauer.

A III Feira Literária da Escola Osvaldo Brochier acontece hoje, dia 21/11/2015 e traz uma pequena amostra dos trabalhos desenvolvidos no ano de 2015 com intento de compartilhar e refletir sobre os caminhos dos “Construtores do Futuro”.
Durante este ano, as obras de dois autores foram fontes de reflexão. O escritor-filósofo Carlos Fernando Leser levou os estudantes ao mundo da poesia através de seus livros IN EXTREMIS e PARQUE DI VERSOS. Já, o escritor José Bento Renato Monteiro Lobato, o precursor da literatura infantil brasileira, trouxe no “seu” Sítio do Pica Pau Amarelo seus personagens e suas lições de respeito, amor, colaboração, união entre as pessoas e a natureza.
E simultaneamente, o artista plástico pernambucano Romero Brito com suas telas propiciou nas cores e nas formas a integração da leitura de contos e poesias através várias releituras artísticas realizadas pelos estudantes.
O filósofo Nietzsche disse que “Nunca é alto o preço a pagar para pertencer a si mesmo” e para que isso ocorra há vários caminhos: um deles é a leitura que se torna prazerosa através da literatura.
Entendendo que ler é ir além das letras impressas em um papel, mas como forma de interação entre a compreensão da sua própria bagagem cultural e social com as palavras do autor, a área de linguagens prioriza o ato de ler. No momento em que se dá o processo de leitura, ela torna-se uma eficaz ferramenta na construção do homem crítico.
A escola almeja a construção de seres humanos capazes de serem agentes dentro da sociedade. Portanto, o incentivo a leitura se dá em todas as disciplinas administradas. Afinal, “Os livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas, pois os livros só mudam as pessoas”, diz Mário Quintana. E se “um país se faz com homens e livros” como afirma Monteiro Lobato, os estudantes têm na leitura uma ferramenta para a mudança. Pois, “a terra será o que são seus homens”.
Assim, convido a todos para prestigiarem os trabalhos de nossos alunos.




Projetos Literários desenvolvidos pelos estudantes de 6º a 9º anos com a orientação da Professora Adriana Tavares Pimentel nos anos de 2013, 2014 e 2015.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte sempre!

Volte sempre!

Pesquisar este blog

Minha estante de livros!