Miscelâneas do Eu

Expressar as ideais, registrar os pensamentos, sonhos, devaneios num pequeno e simplório blog desta escritora amadora que vos fala são as formas que encontrei para registrar a existência neste mundo.

Não cabe a mim julgar certo ou errado e sim, escrever o que sinto sobre o que me cerca.

A única coisa que não abro mão é do amor pelos seres humanos e incompreensão diante da capacidade de alguns serem cruéis com sua própria espécie.

Nana Pimentel

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Impotência diante da vida.



Muitas vezes nos sentimos pequenos em situações as quais nada podemos fazer para revertermos.
Esse é o sentimento pelo qual me vejo.
Vontade de sumir, gritar, quebrar, tendo a consciência que não posso nada disso fazer. Que a razão deve estar a frente de toda essa balburdia de vozes que escuto dentro de mim.
Ser forte e coerente sem saber ao certo se só isso basta.
Mas e se... e se.... e ...Mil possibilidades de acontecimentos variados em pequeno espaço de tempo.
Vida efêmera.
Deus mal que nos tira a lucidez quando nos vemos em perigo. Deus bom que nos poupa de ver coisas que ainda virão por ter-nos tornado insanos em alguns momentos.
As dores tomam conta do corpo e da alma.
A menina que brincava no parque, sorria, fazia poesia da dor se esvai na dor.
A mulher cobiçada pela alegria e beleza se perdi.
Avança a doença, medicamentos e aparelhos para retardar o inevitável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte sempre!

Volte sempre!

Pesquisar este blog

Minha estante de livros!