Miscelâneas do Eu

Expressar as ideais, registrar os pensamentos, sonhos, devaneios num pequeno e simplório blog desta escritora amadora que vos fala são as formas que encontrei para registrar a existência neste mundo.

Não cabe a mim julgar certo ou errado e sim, escrever o que sinto sobre o que me cerca.

A única coisa que não abro mão é do amor pelos seres humanos e incompreensão diante da capacidade de alguns serem cruéis com sua própria espécie.

Nana Pimentel

domingo, 4 de setembro de 2016

Natal

Leia o texto com muita atenção.

_________________________________________

Vladimir recebeu muitos presentes no Natal, entre livros, discos, jogos de computador, mas gostou sobre tudo do equipamento para caçar borboletas. O equipamento incluía uma rede, um frasco de vidro, algodão, éter, uma caixa de madeira com fundo de cortiça e muitos alfinetes coloridos.
Aquilo o deixou entusiasmado. Ele gostava de insetos, mas não sabia que era possível colecioná-los, como quem coleciona selos, conchas ou postais, talvez até trocar exemplares repetidos com os amigos.
Nessa mesma tarde, saiu para caçar borboletas. Foi para o matagal, junto ao rio, atrás de casa, um lugar onde se juntavam insetos de todo o tipo. Já tinha apanhado cinco borboletas, que guardara dentro do frasco de vidro, quando ouviu alguém cantar numa voz de algodão doce – uma voz tão doce e tão macia que ele julgou que sonhava. Observou e viu, pousada numa flor, uma borboleta linda como um arco-íris, mas ainda mais colorida e luminosa. Sentiu o que deve sentir em momentos assim todo o caçador: sentiu que o ar lhe faltava, sentiu que as mãos tremiam, sentiu uma espécie de alegria muito grande. Lançou a rede e viu a borboleta soltar-se da flor num vôo curto e depois se debater, já presa, nas malhas de nylon. Passou-a para o frasco e ficou um longo momento a olhar para ela.
Agora você é minha! – disse-lhe – Toda a sua beleza me pertence.
A borboleta agitou as asas muito levemente e ele ouviu a mesma voz que há instantes o encantava:
Isso não é possível! – era a borboleta que falava. – Sabe como surgiram as borboletas? Foi há muito, muito tempo, na Índia. Vivia então ali um homem sábio e bom, chamado Buda...
Vladimir esfregou os olhos:
Meu Deus! Estou sonhando?
A borboleta riu:
Isso não tem importância. Ouve a minha história. Buda, o tal homem sábio e bom, achou que faltava alegria ao ar. Então, colheu uma mão cheia de flores e lançou-as ao vento e disse: voem! E foi assim que surgiram as primeiras borboletas. A beleza das borboletas é para ser vista no ar, entende? É uma beleza para ser voada.
Não! – disse Vladimir abanando a cabeça. – Eu sou um caçador de borboletas. As borboletas nascem, voam e morrem, e, se não forem os colecionadores, como eu, desaparecem para sempre.
Está enganado. Há certas coisas que não se podem guardar. Por exemplo, não pode guardar a luz do luar, ou a brisa perfumada de um pomar de macieiras. Não pode guardar as estrelas dentro de uma caixa. No entanto, pode colecionar estrelas. Escolhe uma quando a noite chegar. Será sua. Mas deixa-a guardada na noite. É ali o lugar dela.
Se eu libertar-lhe agora... – perguntou Vladimir – Você será minha?
A borboleta fechou e abriu as asas iluminando o frasco com uma luz colorida.
Já sou sua. – disse – E você já é meu. Sabe? Eu coleciono caçadores de borboletas.
Vladimir regressou à casa alegre como um pássaro. O pai quis saber se ele tinha feito uma boa caçada. O menino mostrou-lhe, com orgulho, o frasco vazio:
Muito boa! – disse. – Está vendo? Deixei fugir a borboleta mais bela do mundo.

Responda ao que lhe é pedido sobre o texto que você leu de José Eduardo Agualusa (adapt.).


1. Quais foram os presentes que Vladimir recebeu no Natal?

_____________________________________________________________________________________

_____________________________________________________________________________________


3. Por que razão Vladimir achou que estava sonhando? Complete a frase, assinalando com X a resposta correta. Vladimir julgou que estava sonhando, porque...
( ) a voz que falava era doce e macia. ( ) sentia os olhos fechando.

( ) sabia que as borboletas não falam.  ( ) tinha acordado há muito pouco tempo.

4. Que história contou a borboleta à Vladimir?

5. A borboleta falou a Vladimir de «certas coisas que não se podem guardar» . Descubra-as na lista seguinte e assinala-as com X.

( ) A alegria do caçador ( ) A luz do luar
( ) O perfume das macieiras ( ) A beleza das flores
( ) A frescura dos regatos ( ) As estrelas do céu
( ) O cantar dos pássaros ( ) O calor do sol

6. Assinale com um X a frase que completa a afirmação seguinte, de acordo com o texto.
Vladimir só libertou a borboleta, quando ela...
( ) lhe contou a história de um homem chamado Buda.
( ) lhe disse que a beleza das borboletas é para ser vista no ar.
( ) lhe falou das coisas que não se podem guardar.
( ) lhe explicou que já pertenciam um ao outro.

7. Ligue as duas partes das frases que lhe contam resumidamente a história. Escreva o número à frente da letra. Siga os exemplos.
( A ) Esta história começa ( 1 ) a borboleta mais bela do mundo.
( B ) De todos os presentes, Vladimir preferiu ( 2 ) para junto do rio.
( C ) Logo nessa tarde, saiu ( 3 ) com a rede.
( D ) Foi assim que conheceu ( 4 ) a falar com ele.
( E ) Apanhou-a ( 5 ) no Natal.
( F ) Ela começou ( 6 ) que há coisas que não se podem guardar.
( G ) A borboleta ensinou-lhe ( 7 ) libertar as borboletas.
( H ) Então Vladimir decidiu ( 8 ) o equipamento para caçar borboletas.

A – ____ B – ____ C – ____ D – ____ E – ____ F – ____ G – ____ H – ____

8. Escolha um lindo título para este texto. Escreva-o na linha que está no início do texto.

Gramática
1) Reescreva as frases substituindo os artigos definidos por artigos indefinidos.
a) “A borboleta agitou a asa muito levemente e ele ouviu a mesma voz que há instantes o encantava:”
_____________________________________________________________________________________

b) “O menino mostrou-lhe, com orgulho, o frasco vazio:”
____________________________________________________________________________________

2) Preencha a tabela abaixo pesquisando palavras do texto:
Monossílaba
Dissílaba
Trissílaba
Polissílaba





















3) Observe as palavras abaixo com muita atenção, reescreva as mesmas no quadro de acordo com a classificação, e circule os dígrafos ou encontros consonantais existentes.

empenho carrossel escada açougue quindim

exceção águia quilo charuto aspargo eletricista

amargo piscina troféu carretel passarela esteira assado
Dígrafos na mesma sílaba
Dígrafos em sílabas separadas
Encontro consonantal



















4) Classifique as palavras abaixo quanto ao encontro vocálico. Ditado das palavras:

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
Ditongo
Tritongo
Hiato













Produção de texto:

Você pode conquistar todas as coisas que quiseres na vida. Basta que sejas honesto, trabalhes e estudes respeitando sempre as pessoas que te cruzarem o caminho e mostrando suas opiniões sem violências físicas ou morais. Então, brilhe no mundo e não desista nunca de seus sonhos.
Nas linhas abaixo escreva um texto narrando as pessoas que você mais admira e porque elas são tão importantes em sua vida. Capriche e escreva a caneta, lembrando-se que deve haver parágrafo com pontuação e letra maiúscula ao iniciá-los.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte sempre!

Volte sempre!

Pesquisar este blog

Minha estante de livros!