Miscelâneas do Eu

Expressar as ideais, registrar os pensamentos, sonhos, devaneios num pequeno e simplório blog desta escritora amadora que vos fala são as formas que encontrei para registrar a existência neste mundo.

Não cabe a mim julgar certo ou errado e sim, escrever o que sinto sobre o que me cerca.

A única coisa que não abro mão é do amor pelos seres humanos e incompreensão diante da capacidade de alguns serem cruéis com sua própria espécie.

Nana Pimentel

domingo, 14 de agosto de 2016

Dia dos Pais, Dr Carlos Alberto Pimentel!

Os pais antes de serem pais são homens. Cada um com seus trejeitos, idéias, manias, ídolos, concepções.

Se alguém julga que ser pai é ser perfeito, não iluda-se, ser pai não é isso. Todos somos imperfeitos.
"O MEU TORCE PARA O INTERNACIONAL" 

Ser pai é acertar e errar. Às vezes dizer sim, em outras, não.
Ser pai não é saber tudo, mas dizer tudo que sabe a respeito de algo para proteger sua cria.
Ser pai é carregar pela mão e ser carregado também.
Ser pai é ser duro mesmo querendo ser doce. Afinal, o ensinar limites a cria, lhe poupará ver a cria adulta sofrendo com os limites impostos pela vida.
Ser pai é sofrer pela decepção, chorar pela saudade, sorrir das atrapalhadas e amar a possibilidade de ser um pai mesmo que nem tenha certeza de como agir.

Ser pai é conduzir, às vezes, observar.
Ah, ser pai é tanta coisa sem deixar de ser um filho também.

Ele também é um dos irmãos desta família:

O meu pai teve uma infância e tanto. Foi criança e como todas gostava de jogar bola.



Queria ser jogador de futebol e falam os amigos de Montenegro, sua terra natal, que ele era bom. Rsrsrs. Virou radialista, jornalista, médico, militar, professor, vice-prefeito.


Hoje, eu penso que deveria estar com sua família curtindo o Dia dos Pais, mas não. Está salvando vidas.


Meu pai é esse que é avô de 8 netos lindos e recheado de filhos e filhas que com certeza o amam.




Fala que sua esposa é uma guerreira. Concordo. Só esquece de falar que ele também o é! Não são todas as pessoas que tem trajetórias fortes como a tua e vencem na carreira e na saúde.

O meu pai?
O meu pai é o PI para uns, é o LICO para outros e para mim é o MEU PAI! Simplesmente e perfeitamente, o meu pai. Aquele que caiu em um bueiro no dia em que nasci. Vinha do quartel em para o Hospital Militar do Rio de Janeiro em um dia de temporal quando caiu em um bueiro.

O meu pai é aquele que na formatura da minha Pré Escola estava lá fardado, esperando eu receber meu certificado para voltar ao quartel.

O meu pai é aquele que nos meus 6 anos me buscou na escola a pé para me levar à loja de brinquedos e colocar meu primeiro patins nos pés e me ensinar a andar. O que mais amei fazer na minha vida, patinar.

O meu pai é aquele que chamou o Papai Noel nos meus 8 anos e me trouxe minha Caloi vermelha. O meu pai é a pessoa que me acordava de manhã com samba ou música clássica e assim me ensinou a gostar. É o cara que me ensinou o hino do inter, a jogar gamão e xadrez num intervalinho do horário de almoço.

Esse moço, o Lico, é o meu pai que me levou a uma festa com minhas amigas aos 13 anos e dançou conosco a noite toda. Alías, é o mesmo cara que me leva ao cinema, teatro e muitos outros lugares “bacanas”.
O tal do PI, este é o que me possibilitou muitas coisas, me deu muitas possibilidades e respeitou meu livre arbítrio mesmo sabendo que as coisas não iam dar certo.

Meu pai foi o cara que feliz pela chegada da primeira neta Giovanna em 12/11/19990 quis filmar o parto e eu de vergonha, não deixei. Ah, se arrependimento matasse! Como queria ter deixado!

Nem tudo são flores, meu pai também já sofreu por minhas palavras. Sofreu mais com minhas doenças, talvez. Quando criança e adolescente, mesmo sendo médico, sumia ao me ver doente por se sentir frágil de sua cria estar assim. No entanto, firme e forte se manteve. Esse mesmo homem, já discordou de mim infinitas vezes e me fez chorar. E eu, o fiz chorar. Mas com tudo isso, acredito que o tempo nos fortaleceu e o que se percebe hoje é o que ficou, o amor.

Meu pai é um ser humano com todas as características de um. Meu pai, como ele mesmo escreveu em um LP uma vez, é um pai nem tanto herói. Mas não quero um herói pois admiro as pessoas que são imperfeitas e incansáveis em aprimorar sua existência. Afinal, atitudes assim tornam estas pessoas perfeitas em suas capacidades de enxergarem a vida e suas mazelas. O meu pai é quem eternamente carregarei suas marcas genéticas sem desonrá-las e com elas o meu amor.



FELIZ DIA DOS PAIS!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte sempre!

Volte sempre!

Pesquisar este blog

Minha estante de livros!