Miscelâneas do Eu

Expressar as ideais, registrar os pensamentos, sonhos, devaneios num pequeno e simplório blog desta escritora amadora que vos fala são as formas que encontrei para registrar a existência neste mundo.

Não cabe a mim julgar certo ou errado e sim, escrever o que sinto sobre o que me cerca.

A única coisa que não abro mão é do amor pelos seres humanos e incompreensão diante da capacidade de alguns serem cruéis com sua própria espécie.

Nana Pimentel

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Inadiável partida


                                                   

Muitas vezes desfiz malas recém-feitas muitas vezes abri mão de novos ares.
Viajar, viajar, viajar, e eu presa ao chão, parafuso em mil voltas enfincado.
Não importa.
Dia virá em que partirei sem malas e habitarei definitiva o país longínquo – meta de hipóteses e sonhos.


                         (CABRAL, Astrid. De déu em déu - poesia reunida. Rio de Janeiro: Sete Letras, 1998, p. 316.)

 Assinale a melhor interpretação do poema:
 a) O tema do poema é a insatisfação com a vida na terra natal e o desejo de mudar-se para outro país.
 b) O tema do poema é a frustração de uma mulher que não quer viajar.
c) O significado das palavras “partida”, “viajar” e “partir” transforma-se ao longo do texto, tornando-se metafórico.
d) O eu lírico tem medo de viajar, pois, embora esteja consciente da necessidade da partida (título), prorroga indefinidamente a decisão (verso 5).



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Volte sempre!

Volte sempre!

Pesquisar este blog

Minha estante de livros!